sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Atividade Descrição Arquivística 2017/2

A pesquisa científica está presente em todos os currículos das universidades, demonstrando assim sua importância no meio profissional. O mercado de trabalho está exigindo cada vez mais do profissional, que já não basta este ter conhecimentos teóricos e sim na realização de uma prática que busca a produção de novas ideais e conhecimentos. A partir desse pressuposto leiam a introdução do livro Descrição e pesquisa: reflexões em torno dos  arquivos  pessoais.

Referência: OLIVEIRA, Lucia Maria Velloso de. Descrição e pesquisa: reflexões em torno dos  arquivos  pessoais.  Rio  de  Janeiro: Móbile, 2012.

Identifique no texto: problemática, objetivos e metodologia.

Trabalho individual. Prazo para postagem: 17 de outubro de 2017.


Valor: 1,0 ponto

29 comentários:

  1. 1) PROBLEMÁTICA:

    A descrição arquivística se tornou uma inquietação pelo fato de ser tratado pela área de forma restrita ao logo dos últimos vinte e cinco anos, havendo então o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumento de pesquisa, configurando-se em um problema de pesquisa.

    2) OBJETO DE ESTUDO: arquivo pessoal;

    3) OBJETIVOS:
    GERAL: Analisa a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica;
    ESPECÍFICOS:
    1º analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia;
    2º identificar normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição;
    3º analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização;
    4º analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais;
    5º verificar os efeitos do discursos que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    4) METODOLOGIA: O trabalho parte da premissa de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos. Sendo assim foi realizada uma pesquisa bibliográfica.

    NOME: SHANNA DE OLIVEIRA RANGEL

    ResponderExcluir
  2. Nome: Thatyelly Pompermayer de Paula

    PROBLEMÁTICA:
    A autora revela que ao estudar a utilização dos arquivos e os seus usuários no decorrer da pesquisa de mestrado a descrição arquivística tornou-se uma inquietação, pois a mesma identificou que este tema estava sendo tratado pela área de forma restrita. Com o desdobramento das análises sobre os novos usos dos arquivos e sobre o cada vez mais diversificado perfil de usuários que o mundo contemporâneo introduz no cenário arquivístico, o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se configurou como um problema.

    OBJETIVOS:
    Analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA:
    A autora parte do pressuposto que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos. A produção de conhecimento sobre os arquivos, função magna dos arquivistas, pressupõe a compreensão do processo de produção desses arquivos, isto é, desde o conhecimento sobre quem foi o produtor do arquivo e seus papéis na sociedade, passando pelos lugares que ocupou na sociedade e suas funções sociais, até o consequente entendimento do enredamento entre os registros que produziu e acumulou pertinentes às suas atividades e funções.

    ResponderExcluir
  3. Aluno: Enzo Daltoé Nepomoceno

    PROBLEMÁTICA:
    A relevância tanto da existência quanto da padronização da descrição arquivística para usuários, arquivistas, acervos, instrumentos de pesquisa, e para a própria atividade de descrição, frente aos novos usos dos arquivos e ao diversificado perfil de usuários do mundo contemporâneo.

    JUSTIFICATIVA:
    A abordagem restrita da descrição arquivística, na arquivologia, ao longo dos últimos vinte e cinco anos; e a discussão de vários grupos de profissionais em relação à padronização e à significância da descrição arquivística, que tende a considerar apenas o caráter prático, sendo ignorado o status científico da atividade.

    OBJETIVOS:
    Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como função científica; Identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração/implementação dessas normas; Analisar o lugar que os arquivos pessoais ocupam na arquivologia; Contribuir para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando o arquivista como pesquisador; Expor os relacionamentos existentes entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos.

    METODOLOGIA:
    A partir do entendimento de que a descrição arquivística é um resultado das práticas e pesquisas desenvolvidas pelos próprios arquivistas, pode-se dizer que metodologia da autora foi reunir autores da área, abordando-se as discussões, as normas de descrição arquivística, entre outros aspectos. Ou seja, para a realização da obra foi feita uma pesquisa bibliográfica - relacionada à descrição arquivística -, sendo também inserida a experiência da autora em relação a arquivos pessoais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Correção

      METODOLOGIA:
      (...) pode-se dizer que a metodologia da autora foi reunir autores da área (...).

      Excluir
  4. Nome: Brenda Rodrigues.

    METODOLOGIA:
    A atividade de pesquisa referente à descrição arquivística contribui para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando o arquivista como pesquisador. O trabalho da autora foi analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica.

    OBJETIVOS:
    O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivos
    principais tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção
    dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão dos arquivos.

    PROBLEMÁTICA:
    A problemática do texto envolve a padronização da descrição arquivística, sua relevância composta por usuários, pela utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se denominou como um problema. Pesquisas referentes à padronização da descrição mostram propostas e discutem as perspectivas da prática de elaboração de instrumentos de pesquisa, envolvidas por um discurso de adaptação às novas tecnologias e práticas.

    ResponderExcluir
  5. Nome: Joyce Rosa da Costa

    PROBLEMÁTICA:
    De acordo com a autora o grande questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa se configurou como um grande problema.
    Nos anos de 1980 houve uma grande mobilização por parte da comunidade arquivística para tornar-se uma necessidade a padronização de uma das funções mais marcantes do ofício do arquivista que é a descrição arquivística.
    Foi pautada uma discussão na preocupação de incluir informações sobre os acervos e seus instrumentos de pesquisa no ambiente eletrônico e com as possibilidades que as inovações tecnológicas poderiam oferecer, além disso, também as novas tecnologias e padronizações na área de biblioteconomia impulsionou o movimento desses arquivistas.


    OBJETIVOS:
    O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivos principais tornar aparente os relacionamentos entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão dos arquivos.


    METODOLOGIA:
    O trabalho parte de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com a metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    ResponderExcluir
  6. Nathália Dias Rodrigues Eugenio

    Problemática: A necessidade da padronização da descrição arquivística, visto os diferentes perfis de usuários que o mundo contemporâneo introduz no cenário arquivístico; e com a inserção de informações sobre os acervos e respectivos instrumentos de pesquisa em ambiente eletrônico e com as possibilidades que as inovações tecnológicas poderiam oferecer.

    Objetivos: Analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalisador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamenteas principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    Metodologia: A descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    ResponderExcluir

  7. Oliveira, Lucia Maria Velloso – Descrição e pesquisa, reflexões em torno dos arquivos pessoais.
    Rio de Janeiro: Móbile, 2012.


    DESCRIÇÃO E PESQUISA: REFLEXÕES EM TORNO DOS ARQUIVOS PESSOAIS

    Problemática – Objetivos - Metodologia


    Arquivo pessoal é um produto sociocultural, referência para a memória (individual e coletiva) e para a pesquisa histórica. Reflete a função desempenhada por quem o produziu, contendo características do seu caráter individual, da sua vida, seus relacionamentos, sua personalidade, intimidade, refletindo a sua identidade. Daí, a própria dificuldade do gestor em saber determinar os limites entre o que é público e o que é privado, sendo esse o principal problema. Afinal, o papel primordial do arquivista nos dias de hoje é o de possibilitar o acesso ao acervo respeitando sempre o limite quanto aos direitos relacionados com a vida privada e a intimidade da pessoa a quem se refere os documentos.
    Apesar da “Lei de Arquivos” - Lei 8.159, de 8 de janeiro de 1991 – e da “Lei de Acesso a Informação” (LAI), de 18 de novembro de 2011 – persiste uma lacuna em relação aos arquivos pessoais. A problemática desses arquivos são os dilemas enfrentados pelos gestores para delimitarem o acesso, enfrentando sempre o risco de exposição da intimidade.

    .As tomadas de decisão, em relação aos arquivos pessoais, deverão ser pautadas em requisitos técnicos, legislativos e éticos, uma vez que, isoladamente, nenhum desses três itens será capaz de administrar as relações entre acesso e intimidade, no que tange aos arquivos pessoais.
    Um dos objetivos do gestor de um arquivo pessoal é o de reconhecer naqueles documentos a existência de um valor histórico-cultural, passando, assim, os documentos pessoais para o campo da memória coletiva, permitindo a aquisição dessa documentação por parte de instituições que abrirão o acervo para o acesso e uso da sociedade.
    O objetivo – após a transferência do arquivo pessoal para uma entidade pública - é o de se buscar diretrizes por parte dessa instituição, moldando-a para uma gestão específica no trato com esse tipo de acervo, criando políticas fundamentadas para tal processo.

    Deveras necessária uma decisão estratégica sobre quais os documentos que serão disponibilizados – e em que nível de acesso - para o usuário.
    Tal decisão será metodológica porque possibilitará um grau maior ou menor de revelação do arquivo e de seu contexto de produção. O terreno dessas escolhas é sensível, podendo fazer com que o arquivista interfira no interesse do usuário pelo acervo. As opções metodológicas devem ser tomadas nos princípios arquivísticos.



    Professor: André Malverdes
    Disciplina: Descrição de Documentos Arquivísticos
    UFES

    Aluno: Renato José Borges Bimbato

    ResponderExcluir
  8. PROBLEMÁTICA: Com a análise sobre os novos usos dos documentos de arquivo e sobre cada vez mais diversificado perfil de usuários e sobre o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística, se configurou um problema. Em 1980 a necessidade de padronização da descrição arquivística que é uma das atividades mais marcantes do oficio arquivista, impulsionou o movimento arquivista e gerou uma discussão sobre a preocupação com a inserção das informações sobre os acervos e respectivos instrumentos de pesquisa as quais as possibilidades das inovações tecnológicas poderiam oferecer.

    OBJETIVOS: Deve se analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função arquivística, também deve ser analisar o lugar que os arquivos pessoais ocupam na arquivologia, realizar a identificação das normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição, analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização, analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição. O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivo tornar aparentes o relacionamento entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão do arquivo.

    METODOLOGIA: O trabalho da autora foi analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição. A descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista como uma função científica com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    Nome: Rodrigo dos Santos Nobres.

    ResponderExcluir
  9. Nome: Milena Ferreira Barros

    PROBLEMÁTICA:
    A descrição arquivística se tornou uma inquietação pelo fato de ser tratado pela área de forma restrita ao logo dos últimos vinte e cinco anos, havendo então o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumento de pesquisa, configurando-se em um problema de pesquisa.

    OBJETIVOS:
    Analisa a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica. Para que possa estudar o quadro explorando um conjunto significativo de complexidades, adotamos como campo empírico os arquivos pessoais. Analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA:
    A atividade de pesquisa referente à descrição arquivística contribui para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando o arquivista como pesquisador. O trabalho da autora foi analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica, resultante de um processo de pesquisa; a análise das normas de descrição do objeto do estudo; e o impacto do processo de padronização para a arquivologia.

    ResponderExcluir
  10. Nome:Maristela Alvarenga Correa

    PROBLEMÁTICA: A padronização tem impacto nos arquivos como um todo, independentemente de sua natureza. Mas, no âmbito dos arquivos pessoais, os conflitos tornam-se mais contundentes, a produção dos arquivos das organizações é estruturada em instrumentos legais, normativos e de controle, no entanto, não é encontrado quando nos referimos à produção dos arquivos pessoais.

    OBJETIVOS: Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica, e analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA: Usar como principais eixos a revisão de literatura da área sobre os temas arquivos pessoais, descrição arquivística e normas de descrição; a análise das principais normas de descrição arquivística; e respectivas aplicações das normas nos arquivos pessoais e assim no processo a consolidação da fundamentação teórica do trabalho baseada na especificidade dos arquivos pessoais e o seu lugar na arquivologia; a compreensão da descrição arquivística como uma representação resultante de um processo de pesquisa; a elaboração do processo histórico de produção e implementação das normas de descrição arquivística; a análise das normas de descrição do objeto do estudo; e o impacto do processo de padronização para a arquivologia.

    ResponderExcluir
  11. Texto Descrição Arquivistica

    Professor: Andre Malverdes
    Aluno: Eduardo Batista Lamas Quarto Período

    Identifique no Texto: problemática, objetivos e metodologia.

    Problemática: O texto tem como ideia principal o tratamento dos arquivos pessoais e sua descrição tem sido tratado pela área arquivistica de forma restrita ao longo dos 25 anos.
    Leva-se também em consideração a relevância da descrição arquivistica na equação composta por usuários, utilização de acervos, etc configurou como um problema.
    Objetivos: Nos utimos anos em paises como EUA, Canada, Holanda e Reino Unido se discutem a perspectivas de padronização da descrição arquivistica com relação a adaptação das novas tecnologias e práticas e colocando o caráter científico da descrição arquivistica a margem do processo, que vai alem da compreenção dos arquivos.
    A atividade de pesquisa pertinente à descrição arquivistica contribui para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando o arquivista como um perquisador.
    Métodologia: Em analise dos discursos normalizadores da descrição arquivistica que acompanha as iniciativas de padronização, segundo normas internacionais de descrição arquivistica, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais.
    Parte-se da premissa que a descrição arquivistica é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e ao seu acesso.
    Tem-se a proposta de que os arquivista revisem suas práticas no tocante ao processamento técnico dos acervos, de modo, principalmente, a tornar os documentos mais rapidamente disponíveis aos usuários.
    Elaboração do processo histórico de produção e implementação das normas de descrição arquivística e o impacto do processo de padronização para a arquivologia.

    Referência: OLIVEIRA, Lucia Maria Velloso de. Descrição e pesquisa: reflexões em torno dos arquivos pessoais. Rio de Janeiro: Móbile, 2012.

    ResponderExcluir
  12. Calliny Carên Rodrigues de Freitas

    PROBLEMÁTICA
    A problemática que a autora traz no texto envolve a padronização da descrição arquivística e a sua relevância composta por usuários, pela utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se denominou como um problema.

    OBJETIVOS
    Analisa a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica, analisa o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia, identifica normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição, analisa o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização, analisa individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais e verifica os efeitos do discursos que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA
    A metodologia usada pela autora foi reunir autores da área, abordando-se as discussões, as normas de descrição arquivística, entre outros aspectos. Para a realização da obra foi feita uma pesquisa bibliográfica e inserido a experiência da autora em relação a arquivos pessoais.

    ResponderExcluir
  13. Maria Ivonete Rodrigues Pego

    1 - PROBLEMÁTICA:

    Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica.

    Identificação da inquietação quanto a forma de estudar a utilização dos arquivos e os seus usuário por ocasião da pesquisa de mestrado em Ciência da Informação.

    Comparar os desdobramentos das análises dos novos usos dos arquivos tendo em vista os diversos perfis dos usuários na realidade arquivística contemporânea. (pag.13)

    Atentar para a problemática da padronização tem impacto nos arquivos como um todo, independentemente de sua natureza. Mas, no âmbito dos arquivos pessoais, os conflitos tornam -se mais contundentes. (pag.15).

    2 - OBJETIVOS:

    Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica. (pag. 15).

    Analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia.

    Identificar as normas de descrição arquivísticas de maior impacto internacional e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição.

    Analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização (arquivos pessoais) com base: na França, Reino Unido, Estados Unidos e Canadá.

    Verificar os efeitos do discurso que privilegiam a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.
    (pag. 16).

    Pretendeu a autora, a partir das análises, o padrão canadense, o fortalecimento do padrão descritivo até os dias atuais, seguido pelo modelo americano e Reino Unido (este foi abandonado).
    Seguir a proposta de padronização do Conselho Internacional de Arquivos e sua contribuição no fortalecimento da arquivologia como área de conhecimento. (pag.23).

    Contribuir para o fortalecimento da descrição arquivística como uma função de pesquisa e para o reconhecimento do arquivista como pesquisador. (pag. 23).

    3 – METODOLOGIA:

    Valer-se do processo de pesquisa com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    Utilizar os recursos do autor americano Schellemberg (Arquivos Modernos: princípios e técnicas) para elaborar instrumentos de pesquisa que relacionam documentos avulsos ou individuais, sob influência da Biblioteconomia, demonstrando o temor à obsolescência dos arquivos.

    Atentar para o aspecto Schellemberguiano que inclui o usuário dentro da discussão da descrição arquivística - de que o trabalho da descrição é oferecer acesso aos documentos. Grifo pag. 16.

    Explorar o conjunto significativo de complexidades, adotado como campo empírico os arquivos pessoais.

    Pesquisas realizadas com base em textos com discussões clássicas e contemporâneas de modo a contribuir para a reflexão teórica da pesquisa. (pag. 21).

    O trabalho de descrição teve como base pesquisas bibliográficas em textos sobre esse tema, por exemplo: Modelo de descrição (1898) – Manual de arranjo e descrição de arquivos, dos holandeses Muller, Feith e Fruim, o Manual of Archivall Description (MAD), do Reino Unido, por Michel Cook (2008), o Rules for archival description (RAD) – 2008,
    ISAD(G) Norma Geral internacional de descrição de arquivos (2003)
    Describind Archives: a Content Standard (DACS). Modelo americano(2008). (pag. 21).

    Referência: OLIVEIRA, Lucia Maria Velloso de. Descrição e pesquisa: reflexões em torno dos arquivos pessoais. Rio de Janeiro: Móbile, 2012.

    ResponderExcluir
  14. Nome: Sergio Silva Barbosa

    PROBLEMÁTICA
    Nos anos 1980, a comunidade arquivística iniciou uma discussão em torno da necessidade da padronização de uma das funções mais marcantes do ofício
    do arquivista: a descrição arquivística.

    A discussão foi pautada na preocupação com a inserção de informações sobre os acervos e respectivos instrumentos de pesquisa em ambiente eletrônico
    e com as possibilidades que as inovações tecnológicas poderiam oferecer.

    Segundo o entendimento da autora, as propostas de formatação surgem com o discurso focado na atividade prática de elaboração
    de instrumentos de pesquisa, ignorando o status científico da descrição arquivística.


    OBJETIVOS

    O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivos
    principais tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção
    dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão dos arquivos.

    Essa atividade tipicamente de pesquisa, que envolve o pleno conhecimento não somente do contexto de produção dos arquivos, dos vínculos arquivísticos,
    mas também dos contextos social, cultural e político em que o arquivo é produzido, extrapola a mera utilização de formatos de instrumentos de pesquisa.
    A atividade de pesquisa pertinente à descrição arquivística contribui para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando
    o arquivista como pesquisador.


    METODOLOGIA

    A principal questão do meu trabalho é, portanto, analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão
    da descrição como uma função científica. Para que possamos estudar o quadro explorando um conjunto significativo de complexidades, adotamos como
    campo empírico os arquivos pessoais.


    Para avaliarmos a discussão proposta pretendo analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística
    de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição
    arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística,
    bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação
    ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    O trabalho parte da premissa de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa,
    com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    ResponderExcluir
  15. Nome: Fernanda Leal de Souza

    PROBLEMÁTICA: A autora traz em seu texto a necessidade da padronização da descrição arquivística e seu impacto em todo processo de pesquisa.

    OBJETIVOS: Discute a normalização da descrição; compara as normas internacionais; utiliza como exemplo a aplicação dessas normas em arquivos pessoais; destaca que é necessário compreender a descrição.

    METODOLOGIA: A autora aborda a importância do arquivista dentro do processo de pesquisa, sua experiência na produção de conhecimento sobre os arquivos.

    ResponderExcluir
  16. Nome: Valéria da Penha Monteiro Bandeira

    Problemática: o impacto da padronização da descrição arquivística nos arquivos como um todo, independente da sua natureza. Mas no âmbito dos arquivos pessoais, os conflitos tornam-se mais contundentes.

    Objetivos: analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como função arquivística.

    Metodologia: analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    ResponderExcluir
  17. Fernanda Maria Cunha da Silva


    PROBLEMÁTICA:
    Envolve a padronização da descrição arquivística onde há questionamentos em sua relevância composta por usuários, pela utilização dos acervos, arquivistas, descrição e instrumentos de pesquisa, sendo denominado assim, como um problema.

    OBJETIVOS:
    O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivo analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica. Como analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA:
    A metodologia usada pela autora foi reunir autores da área para analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância da mesma na compreensão da descrição. Tendo resultados de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, havendo métodos próprios da arquivologia que objetivam a produção o acesso do conhecimento sobre os arquivos.

    ResponderExcluir
  18. NOME:
    Vitoria Helena das Candeias Alves de Aguiar

    PROBLEMÁTICA:
    "A padronização tem impacto nos arquivos como um todo, independentemente de sua natureza."
    O problema surgiu a partir do perfil diversificado de usuário, uso dos documentos de arquivo para novos fins e o questionamento sobre a importância da descrição arquivística. A necessidade de padronização da descrição arquivística que surgiu em 1980 é uma das atividades mais marcantes do profissional de arquivologia. Isso gerou uma discussão sobre a preocupação com a inserção das informações sobre os acervos e respectivos instrumentos de pesquisa as quais as possibilidades das inovações tecnológicas poderiam oferecer.

    OBJETIVOS:
    Deve-se analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; Analisar o lugar que os arquivos pessoais ocupam na arquivologia; Realizar a identificação das normas de descrição arquivística de maior impacto internacional; Analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição. O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivo tornar aparentes o relacionamento entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão do arquivo.

    METODOLOGIA:
    A autora visa dar importância ao arquivista no processo de pesquisa e descrição de documentos. A descrição arquivística é uma representação produzida pelo próprio arquivista como uma função científica de acordo com a metodologia própria da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.

    ResponderExcluir
  19. Nome: Graziele Laurindo do Carmo
    PROBLEMÁTICA
    A descrição arquivística tornou-se uma inquietação pois este tema vinha sendo tratado pela área de forma restrita. Nos últimos vinte e cinco anos, o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se configurou como um problema.

    OBJETIVOS
    Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica; Analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    METODOLOGIA
    A metodologia utilizada foi realizar uma revisão de literatura da área sobre os temas arquivos pessoais, descrição arquivística e normas de descrição bem como a consolidação da fundamentação teórica do trabalho baseada na especificidade dos arquivos pessoais e o seu lugar na arquivologia; a compreensão da descrição arquivística como uma representação resultante de um processo de pesquisa; a análise das normas de descrição do objeto do estudo; e o impacto do processo de padronização para a arquivologia.

    ResponderExcluir
  20. Nome:Tainara Oliveira Nascimento
    PROBLEMÁTICA: Se iniciou com um questionamento referente a relevância da descrição arquivistica na equação composta por usuário, utilização dos acervos , acervos,arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa.Mas de forma sucinta porém objetiva a problemática é composta pelo impacto na padronização da descrição arquivistica nos arquivos e conflitos no que se diz respeito a arquivos pessoais.

    OBJETIVOS: Tem como principais objetivos:Tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, alem da compreensão dos arquivos.
    Essa atividade tipicamente de pesquisa- que envolve o plano conhecimento não somente do contexto de produção dos arquivos, dos vínculos arquivisticos,mas também dos contextos social,cultural e político em que o arquivo é produzido-extrapola a mera utilização de formatos de instrumentos de pesquisa.
    Através da atividade de pesquisa pertinente a descrição arquivistica contribui para a percepção da arquivologia como campo cientifico, autorizando e legitimando o arquivista como pesquisador.


    METODOLOGIA:Parte do principio de que a descrição arquivistica é uma representação produzida pelo arquivista,decorrente de um processo de pesquisa,com metodologia e métodos próprios da arquivologia,que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.A produção de conhecimento sobre os arquivos,função magma dos arquivistas,pressupõe a compreensão do processo de produção desses arquivos ,isto é,desde o conhecimento sobre quem foi o produtor do arquivo e seus papeis na sociedade,passando pelos lugares que ocupou na sociedade e suas funções sociais,até o conseqüente entendimento do enredamento entre os registros que produziu e acumulou pertinentes ás suas atividades e funções.

    ResponderExcluir
  21. Aluna: Carolina Borges Caetano

    Problemática: A descrição arquivística se tornou alvo de questionamentos pelo fato de ser tratada pela área de forma restrita ao logo dos últimos vinte e cinco anos, havendo então todas essas questões sobre a relevância dela na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumento de pesquisa, configurando-se em um problema de pesquisa.

    Objetivos: Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica; analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discursos que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    Metodologia: Foi realizada uma pesquisa bibliográfica, uma reunião junto aos autores da área, e a inserção da experiência da autora dentro dos arquivos pessoais.

    ResponderExcluir
  22. Problemática: A autora identifica que a descrição arquivística se torna uma inquietação para ela por que o tema vinha sendo tratados pela área de forma restrita ao longo dos últimos 25 anos, com os desdobramentos e analises das novas formas de uso dos arquivos e dos novos usuários do mundo contemporâneo o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se configurou como um problema.

    Objetivos: Para avaliarmos a discussão proposta pretendo analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    Metodologia: O trabalho parte da premissa de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.


    Aluna: Dalila Rodrigues Farias

    ResponderExcluir
  23. Aluno: Lucas Andrade da Cruz

    PROBLEMÁTICA
    O texto apresenta como problemática a área de descrição na arquivologia, apontando que foi uma função arquivística há muito tratado de forma restrita, por um período de vinte e cinco anos, segundo a autora, e que por se tratar de um dos métodos mais notáveis para a constituição da arquivologia como ciência da informação, deve ter maior notoriedade.

    OBJETIVOS
    São apresentados como objetivos no texto a análise da tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica, usando como objeto de estudo arquivos pessoais, que não possuem estruturação com instrumentos legais, normativos e de controle, diferente dos arquivos de organizações, dando assim, um leque mais extenso para o estudo da descrição.

    METODOLOGIA
    Como mostrado nos objetivos do texto, a descrição é mostrada como uma ciência no campo da arquivologia, portanto para ressaltar tal afirmação são apresentados excertos de outros autores e pesquisadores do assunto que comprovem tal ponto de vista, tratando-se portanto de uma pesquisa bibliográfica.

    ResponderExcluir
  24. ALUNO: RAFAELA AZEVEDO ROCHA

    Problemática: A descrição arquivística se tornou uma inquietação para a autora, pois foi identificado que este tema vinha sendo tratado pela área de forma restrita ao longo dos últimos vinte e cinco anos. Na ocasião, como desdobramento
    das análises sobre os novos usos dos arquivos e sobre o cada vez
    mais diversificado perfil de usuários que o mundo contemporâneo introduz no
    cenário arquivístico o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística, na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se configurou como um problema.

    Objetivos: Tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção
    dos documentos e os próprios documentos; analisar a tendência normalizadora
    da descrição arquivística; importância dessa tendência na compreensão
    da descrição como uma função científica.

    Metodologia: proliferação de grupos de profissionais que discutem as perspectivas de padronização da descrição arquivística mostram propostas de nivelamento da prática de elaboração de instrumentos de pesquisa, envolvidas por um discurso de adaptação às novas tecnologias e práticas, e, por fim, colocando o caráter científico da descrição arquivística à margem do processo.

    ResponderExcluir
  25. Nome: Cristiane Silveira Machado

    Objetivo
    Reflexão sobre arquivos pessoais analisa a tendência normalizadora da descrição arquivística e a preocupação com a inserção de informações sobre os acervos e instrumentos de pesquisa eletrônica.

    Problemática
    A padronização da descrição arquivística e suas metodologias e novas tecnologias de pesquisa.

    Metodologia
    Pesquisas cientificas e análise dos autores na área arquivística.

    ResponderExcluir
  26. Nome: Rodrigo José Nogueira Barboza

    PROBLEMÁTICA: A autora, ao estudar a utilização dos arquivos e os seus usuários, no decorrer da pesquisa de mestrado em Ciência da Informação, a descrição arquivística se tornou uma inquietação com a identificação de que este tema vinha sendo tratado pela área de forma restrita ao longo dos últimos vinte e cinco anos e, como desdobramento das análises sobre os novos usos dos arquivos e sobre o cada vez mais diversificado perfil de usuários que o mundo contemporâneo introduz no cenário arquivístico, o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística na equação composta por usuários, utilização dos acervos, acervos, arquivistas, descrição, e instrumentos de pesquisa, se configurou como um problema. (pg. 13)

    OBJETIVOS: analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa. (pg. 15-16)

    METODOLOGIA: Como metodologia, a autora sugere a analise da tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica adotando como campo empírico os arquivos pessoais. Também pretende analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.



    ResponderExcluir
  27. NOME: INDIANA RIBEIRO DE ALMEIDA VENTURA

    PROBLEMÁTICA

    A autora detectou através de seus estudos e pesquisas que a descrição arquivística vinha sendo tratada pela área da informação de forma restrita,em analise aos novos usos dos arquivos e a diversidade de usuarios introduzidos no cenário arquivístico,surgiu o questionamento sobre a relevância da descrição arquivística para usuários,acervos,descrição e instrumentos de pesquisa. assim como a problemática da padronização da descrição arquivística e complexidade quando o objeto de estudo é o arquivo pessoal.


    OBJETIVOS

    O desenvolvimento da pesquisa na descrição arquivística tem como objetivos principais tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão dos arquivos.

    - Analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica.

    - Analisar o lugar que ocupa
    os arquivos pessoais na arquivologia;

    - Identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição;

    - Analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização;

    - Analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição


    METODOLOGIA
    A autora procurou analizar as diferentes tendências da área na medida em que ela definia melhor a abordagem para substanciar o problema.

    O trabalho da autora teve como eixos principais:A revisão de literatura da área sobre os temas: arquivos pessoais, descrição arquivística e normas de descrição;
    a análise das principais normas de descrição arquivística; e respectivas aplicações
    das normas nos arquivos pessoais.

    O trabalho parte da premissa de que a descrição arquivística é uma representação produzida pelo arquivista, decorrente de um processo de pesquisa, com metodologia e métodos próprios da arquivologia, que objetiva a produção de conhecimento sobre os arquivos e o acesso aos mesmos.
    A autora procurou analizar as diferentes tendências da área na medida em que ela definia melhor a abordagem para substanciar o problema.



    ResponderExcluir
  28. NOME: DANIELLE MATOS GONÇALVES

    Problemática
    A autora informa que a problemática é a importância da descrição arquivísitca no meio da ciência da arquivologia após verificar a restrição de pesquisas na área verificadas durante sua pesquisa de mestrado em ciência da informação sobre a utilização de arquivos e seus usuários. A principal questão portanto é analisar a tendência normalizadora da descrição arquivística e a importância dessa tendência na compreensão da descrição como uma função científica.

    Objetivos
    Tornar aparentes os relacionamentos entre o contexto de produção dos documentos e os próprios documentos, além da compreensão dos arquivos. Essa atividade tipicamente de pesquisa — que envolve o pleno conhecimento não somente do contexto de produção dos arquivos, dos vínculos arquivísticos, mas também dos contextos social, cultural e político em que o arquivo é produzido — extrapola a mera utilização de formatos de instrumentos de pesquisa. A atividade de pesquisa pertinente à descrição arquivística contribui para a percepção da arquivologia como campo científico, autorizando e legitimando o arquivista como pesquisador


    Metodologia
    analisar o lugar que ocupa os arquivos pessoais na arquivologia; identificar as normas de descrição arquivística de maior impacto internacional, e o processo de elaboração e implementação dessas normas de descrição; analisar o discurso normalizador da descrição arquivística que acompanha as iniciativas de padronização; analisar individualmente e comparativamente as principais normas internacionais de descrição arquivística, bem como exemplo de suas aplicações para descrição de arquivos pessoais; e verificar os efeitos do discurso que privilegia a normalização em relação ao entendimento da descrição arquivística como função de pesquisa.

    ResponderExcluir